SOLENIDADE DO CORPO E SANGUE DE CRISTO

ARTIGOS

Amados irmãos e irmãs em Cristo, na festa de Corpus Christi a ser comemorada no dia 16 de Junho de 2.022, os fiéis agradecem e louvam a Deus pelo imenso e inestimável dom da Eucaristia, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. A Eucaristia é fonte e centro de toda vida cristã. Nela está contido o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo.

E nesta solenidade se comemora o Santíssimo Sacramento da Eucaristia, sendo o único dia no ano que o Santíssimo Sacramento sai em procissão pelas nossas ruas. A Eucaristia é o próprio  sacrifício do Corpo e do sangue do Senhor Jesus que Ele instituiu para perpetuar o sacrifício da cruz no decorrer dos séculos até o seu regresso, confiando assim a sua Igreja o memorial de sua Morte e Ressurreição. Fazer memória da doação do Senhor nos leva à partilha da vida.

Um dia de reflexão  e meditação, para ouvirmos, escutarmos, aprendermos, entendermos, sentirmos e conhecermos os ensinamentos que nos são ministrados, e praticarmos  a caridade para os irmãos mais necessitados. A solenidade de Corpus Christi, a festa do pão e da partilha, é sempre celebrada na primeira quinta feira, após o Domingo da Santíssima Trindade é uma festa que teve início na Igreja no ano de 1.264, pelo Papa Urbano IV. Uma  tradição  da Igreja Católica, onde os fiéis celebram a presença de Cristo na Eucaristia. É o reconhecimento ou ação de graça em memoria da morte, sacrifício e ressurreição de Cristo.

Somos todos convidados nesta festa do pão e da partilha, a ler a Palavra de Deus, meditá-la em família, ter tempo para conhecer a maravilhosa mensagem que o Senhor nos deixou, não uma história antiga, e sim uma história presente de amor a Deus que nos fala e nos convida a confiar a sua presença em nossas vidas, em  nossos lares, e nas  comunidades. O Concílio de Trento no ano de 1.500 declarou que seja este excelso, sublime, divino  e venerável Sacramento da Eucaristia,  com singular veneração e  honradamente seja levado em procissão.

E com toda a honra possível a Jesus Cristo, uma solenidade que se tornou bastante comum a partir do século XIV. Os festejos solenes de Corpus Christi, acontecem 60 (sessenta) dias após a Páscoa, enquanto Pentecostes acontece 50 (cinquenta) dias após a festa  da Ressurreição. Jesus anuncia a si mesmo como verdadeiro pão descido do céu, capaz de saciar não apenas um momento, não apenas um trecho do caminho, mais capaz de saciar para sempre. Ele é o alimento que dá a vida eterna porque é o Filho Unigênito de Deus, que veio para fazer com que o homem tenha vida em plenitude.

O pão é um alimento para o corpo e para a alma e sua história é quase tão antiga como a humanidade. Devemos crer e ter fé em Cristo, arrepender-nos , ser batizado e receber o Espirito Santo, e assim, vem, então, a remissão de nossos pecados pelo fogo e pelo Espirito Santo. Nosso alimento na caminhada  cristã. Jesus nos anima para a superação da fome, da miséria e da injustiça em nossa sociedade. O ser humano tem fome de ser amado e amar é a intimidade com Jesus, que pode saciar essa fome. Há de se registrar que os fiéis leigos são os cristãos que estão incorporados a Cristo pelo batismo, que formam o povo de Deus e participam das funções de Cristo.

De tal modo que, com seu testemunho, possa contribuir para a transformação das realidades e para a criação de estruturas justas segundo os critérios do Evangelho de Jesus Cristo E no Brasil, cresceu a tradição nas cidades com a confecção de tapetes para a passagem da procissão com o Santíssimo Sacramento. Os desenhos dão ênfase aos temas sobre a Eucaristia, e a criatividade das diversas pastorais, dá um toque especial com o uso dos diversos materiais cedidos pelos membros da comunidade, como serragem, pedras coloridas, borra de café, flores, areia, entre outros itens que são utilizados na preparação dos festejos.

Amados irmãos e irmãs em Cristo, o simbolismo do Sacramento da Eucaristia da Ceia do Senhor, é muito mais belo de se contemplar o pão e a água que representam a carne e o sangue Dele, que é o Pão da Vida, e a Agua Viva, lembrando-se do modo comovente do preço que Ele pagou para nos redimir. E quando o pão é partido, lembremo-nos da carne ferida do Salvador. Portanto, Jesus é o verdadeiro Pão do Céu, que vem para nos alimentar no deserto que é a nossa vida.

Somos missionários da Palavra de Deus, e por onde passamos, levemos nos lábios este tesouro precioso e poderoso: uma palavra de paz. E como missionário da paz, junto é convidado para fazermos algo para a paz mundial: ” vá para casa e ame sua família” De forma rotineira o Papa Francisco vem insistindo em suas reflexões : o mundo precisa de paz, e o nosso coração precisa de caridade. 

Deus nos criou  para vivermos individualmente uma vida de amor e somente conscientes que somos filhos e filhas Dele, podemos entender,  compreender, guardar, cumprir, seguir, e praticar a  caridade, com gestos e atitudes concretas de amor a Deus, e ao próximo a começar pelos pobres, que são os preferidos de Jesus. Uma festa solene para conquistarmos um grande proveito espiritual para as nossas vidas. Insista, persista e nunca desista de ser um verdadeiro seguidor e discípulo missionário de Jesus Cristo.

Amados irmãos e irmãs em Cristo, Deus nasceu o mais pobre entre os pobres para nos mostrar a sua grandeza. Que este exemplo faça a crescer em todo o desapego dos bens materiais para vivermos mais a riqueza do mistério de Deus, então, somos constantemente convidados, a missão reservada a todos cristãos na Igreja e no mundo: Homens da Igreja no coração do mundo, e homens do mundo no coração da Igreja!.

A Paz de Jesus!

O Amor fraternal de Maria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *