NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

Artigos

Sim, eu sou rei. É para dar testemunho da verdade que nasci e vim ao mundo” (Jo 18,37).

No próximo final de semana, dias 21 e 22 de novembro, XXXIV domingo do tempo comum, celebraremos a Solenidade de Nosso Jesus Cristo Rei do Universo e com essa Solenidade encerramos nesta semana o Ano Litúrgico da Igreja. No Domingo seguinte dá-se início há um novo Ano Litúrgico. Na solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo celebramos também o dia do cristão leigo, ou seja, o dia de todo batizado que é chamado a ser sal na terra e luz no mundo dentro de sua comunidade e ser discípulo missionário de Jesus Cristo. Neste ano o tema desse dia é “Cristãos leigos e leigas: testemunho e profecia a serviço da vida” e tem como lema: “EU VOS CHAMEI A SERVIÇO DA JUSTIÇA” (Is 42,6). Neste mesmo final de semana temos a “coleta do bem” que une as duas coletas nacionais da igreja do Brasil: a da Campanha da Fraternidade e da Evangelização. Nesse final de semana inicia também a Campanha pela Evangelização (até o terceiro domingo do advento) que tem como tema: “É TEMPO DE CUIDAR DA EVANGELIZAÇÃO”, com o lema: “CONHECEIS A GENEROSIDADE DE CRISTO“ (2Cor 8,9).

Ao celebrar a Solenidade de Nosso Jesus Cristo Rei do Universo recordamos a realeza de Jesus Cristo, uma realeza diferente daquela que existia em seu tempo. O Reinado de Jesus é o do amor, da justiça, da misericórdia e da paz.

Essa solenidade de Nosso Jesus Cristo Rei do Universo foi instituída pelo Papa Pio XI em 1925 e celebra Cristo como um rei bondoso e singelo, que veio para buscar as ovelhas perdidas da Casa de Israel e que como pastor continua guiando a sua Igreja peregrina a caminho da Igreja celestial (triunfante), certa de que o Reino de Deus instaurado por Jesus deve se iniciar aqui na terra e atingir o seu cume na vida eterna.

A intenção de Jesus com o seu reinado era atrair muitas pessoas para a construção desse Reino, que nada mais era que o Reino de Deus que se inicia aqui na terra. E o que existia em seu tempo era um reinado aqui da terra no qual as pessoas seguiam apenas por interesse e por querer possuir sempre mais.

A realeza de Jesus já é proclamada logo que ele vem ao mundo por meio de Maria, os três reis magos oferecem em seus presentes o ouro significando essa realeza de Jesus e se ajoelham diante do Rei. As pessoas daquele tempo esperavam um Messias político, revolucionário, que viria como um guerreiro para defender o povo. Mas desde o seu nascimento a missão do reinado de Jesus era diferente e culminaria com a sua morte na Cruz.

Ao ser crucificado na cruz o governador Pôncio Pilatos manda colocar sob a cabeça de Jesus o letreiro “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus”, dizendo que era assim que Ele se intitulava e ainda coloca sobre sua cabeça uma coroa de espinhos. De fato, Jesus era rei e nós exaltamos esse Reinado de Jesus, mas um reinado de amor que culminou com a morte de Cruz. Um Reino que se iniciou aqui na terra e que continua na vida eterna. Devemos iniciar enquanto estamos aqui na terra a construção desse Reino para sermos merecedores dele também no céu. Contemplá-lo de maneira plena na eternidade.

Quando celebramos a festa da Exaltação da Santa Cruz no mês de setembro (dia 14), não exaltamos o fato ocorrido, ou seja, a morte de Jesus na Cruz, mas que por meio daquele gesto da morte de Jesus na Cruz nos veio a salvação para toda a humanidade e que a vida venceu a morte. O mesmo ocorre agora quando celebramos a solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo, não exaltamos apenas a realeza de Jesus, mas o que ela significa e como poderemos a partir de seus ensinamentos, como cristãos, concretizar esse Reinado nos nossos dias e depois vivê-lo de maneira plena no céu.

Ao rezarmos a oração do Pai Nosso pedimos que “venha a nós o vosso reino”, ao mesmo tempo queremos pedir que venha a nós o Reino de Deus, e que ele esteja presente no meio de nós durante os dias de nossa vida. Mas nós precisamos fazer com que esse Reino se concretize aqui na terra, através de nossas atitudes, principalmente de amar e servir o próximo.

E a partir disso queremos dizer que pertencemos ao Senhor, que fomos escolhidos por ele desde o nosso batismo e que ele tem poder sobre cada um de nós. Jesus é um rei ao qual não devemos ter medo, ao contrário de muitos que temos por aí. Devemos deixar com que Ele cuide e guie da nossa vida.

Nesse dia da Solenidade de Nosso Jesus Cristo Rei do Universo a Igreja no Brasil realiza as coletas das campanhas de evangelização e da fraternidade, em uma única coleta, chamada “Coleta do Bem”, em todas as Igrejas católicas do país. Com o que se arrecadar das Missas neste Domingo o dinheiro será destinado a muitas obras de caridade, obras sociais escolhidas pela CNBB e pelas dioceses pelo país à fora, e ajudará a Igreja na sua missão evangelizadora. Com o nosso gesto concreto desse Domingo daremos o nosso apoio ao projeto de evangelização da Igreja.

Que nessa celebração Deus abençoe todos os leigos que são mensageiros do Reino de Deus, em suas famílias, nas escolas, no trabalho e na comunidade. Muitas vezes são o braço direito do sacerdote e ficam por algum tempo fora de casa, longe de suas famílias, dedicando o seu tempo a Deus e a instauração do seu Reino.

Com essas motivações celebremos com alegria a solenidade de Nosso Jesus Cristo Rei do Universo, encerrando esse Ano Litúrgico e pedindo que Deus caminhe conosco durante o próximo. E que possamos enquanto cristãos fazer acontecer esse reino aqui na terra.

Texto: CARDEAL ORANI JOÃO TEMPESTA
Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)
Imagem: Freeforumzone