VOCAÇÃO: O FOGO QUE LEVAMOS DENTRO

VOCACIONAL

O fogo é uma das imagens mais belas. O fogo emite luz e calor; consome e queima. Muito poucas coisas na vida podem prender tanto nossa atenção como as singelas chamas do fogo.
Quando uma pessoa faz fogo começa colocando cuidadosamente a madeira se assegurando de que está seca. Este quadro do fogo traz outra realidade oculta à vista, não menos formosa e excelsa, impossível de tocar e misteriosa, que pode chegar a arder mais que as mesmas chamas do fogo. ESSE OUTRO FOGO É A VOCAÇÃO ESPECÍFICA DA CADA PESSOA.

Quando Deus criou o homem, colocou fogo em sua alma. Todas as qualidades que nós atribuímos a um fogo as podemos usar para entender bem e apreciar melhor a realidade de uma VOCAÇÃO.

A VOCAÇÃO é algo sumamente formoso. No primeiro livro de Jeremias lemos a palavra de Deus a seu profeta: 

“Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado, e te havia designado profeta das nações.” (Jeremias 1,5)

De todas as imagens de nossa relação com Deus, poucas são mais chamativas que a realidade de que Deus nos conhece e tem um plano para cada um. Antes do nascimento Ele começou a fazer em nós um FOGO.

Uma VOCAÇÃO é formosa porque é um caminho específico dado por Deus para encontrá-lo. É um caminho à felicidade pessoal. Na vocação particular, todo homem e mulher encontram a plenitude de vida que lhes fazem ser verdadeiramente humanos. Nós, além disso, somos chamados à vocação da santidade. Na Igreja seus membros são chamados a adquirir a santidade fortalecida por tantos e grandes meios de salvação, ainda que todo o crente, em sua própria condição ou estado, está também convocado pelo Senhor à perfeição de santidade porque quem chama é ELE, O PAI PERFEITO.

A VOCAÇÃO é uma fonte de luz. Desde o princípio do tempo o ser humano tem buscado entender o propósito de sua missão na vida: QUEM SOU EU? DE ONDE VENHO? PARA ONDE VOU? A luz que recebemos ao encontrar nossa VOCAÇÃO, nossa missão nesta vida, é uma resposta a todos essas perguntas. A VOCAÇÃO define ao homem, resolve-lhe a pergunta a respeito de quem é e o que deve ser: professor, sacerdote, doutor, mãe, pai… Quando o ser humano entende a realidade de sua VOCAÇÃO, todos os outros questionamentos se resolvem. A VOCAÇÃO é a resposta à origem e propósito de vida da cada um. CRIASTE-ME PARA TI E MEU CORAÇÃO ESTÁ INQUIETO ATÉ QUE DESCANSE EM TI. Em outras palavras, quando nos realizamos em nossa VOCAÇÃO, estamos na plenitude da luz. Pode-se ver claramente o caminho que Deus nos pôs adiante, onde começa e a aonde vai.

Uma VOCAÇÃO também emite calor, se funde no apogeu radiante do amor. E a VOCAÇÃO mais fundamental para todos é a de amar: DOU-VOS UM MANDAMENTO NOVO: QUE VOS AMEIS UNS AOS OUTROS COMO EU LHES AMEI. Fora do amor o homem é incompreensível. Cada VOCAÇÃO é especial: a vida matrimonial, a vida consagrada; são significações do amor de Deus irradiado no mundo.

Uma VOCAÇÃO consome e queima. O Evangelho está cheio de paradoxos. Diz-nos que aqueles que se lamentam serão exaltados; os que choram, rirão e que aqueles que desejam encontrar sua vida devem perdê-la. Toda VOCAÇÃO é seguida por um sacrifício. Mas esse sacrifício, esse jugo de Deus É SEU TESTAMENTO QUE NÓS ACEITAMOS. E ESTE TESTAMENTO NÃO É PESADO PORQUE NÃO OPRIME NEM NOS TIRA NOSSA LIBERDADE. Seu testamento serve-nos para conhecer o caminho de nossa existência; por isso é também nossa alegria: não nos afasta, mas nos purifica inclusive quando isto pode ser doloroso, porém nos leva para além de nós mesmos. Responder ao chamamento de Deus é deixar nossos próprios planos e ambições de lado; o que costumamos pensar que nos fazem felizes. Tudo para que encontremos a verdadeira felicidade em Deus.

A VOCAÇÃO é cativante. Nossa sociedade tem sede de heróis. As pessoas procuram modelos para emita-los. Os homens e mulheres sinceros procuram viver o que esses heróis professam e não se assustam em proclamar a outros. Em São João Paulo II milhões de seres humanos viram um herói. Ele viveu sua VOCAÇÃO como cristão e como sacerdote plenamente. Ele foi uma “luz que brilhou na escuridão”; cativou porque sua chama iluminou como uma grande lâmpada na casa do mundo.

É próprio que o homem busque o significado de sua vida. Tem fome por resolver as propostas fundamentais de sua existência e precisa de uma luz para guiar-se neste empenho. Só com a ajuda de Deus os anseios do homem ficam satisfeitos. Por isso é importante que cada homem e mulher descubram o caminho para o qual Deus lhes chamou e cultivem assim o fogo de sua vocação.

Texto: ALAN WIRFEL, LC  
Imagem: Escravas do Sagrado Coração de Jesus