Últimas
XXXII Domingo do Tempo Comum (Ano B)
A liturgia do XXXII Domingo do Tempo Comum fala-nos do verdadeiro c
O dízimo não é uma prática filantrópica
O dízimo não deve ser uma prática filantrópica, mais um gesto
Oração para início da Novena de Natal
Deus Benigno de infinita caridade que nos amastes tanto e que nos d
Novena de Natal - Reunidos em família preparando a vinda do Senhor.
A Novena de NATAL faz parte de um patrimônio da religiosidade popu
Os cidadãos são convidados a participar do jogo e não apenas ficar torcendo das arquibancadas
A democracia, segundo o bispo de Lages (SC) e presidente da Comiss
Mais Lidas

Destaque

Próximos Eventos

Qua Nov 14 @ 8:00PM -
Terço dos Homens
Qui Nov 15 @ 3:00PM -
Terço da Misericórdia
Qui Nov 15 @ 8:00PM -
Grupo de Oração
Qui Nov 22 @ 3:00PM -
Terço da Misericórdia
Qui Nov 22 @ 8:00PM -
Grupo de Oração

O dízimo não é uma prática filantrópica


O dízimo não deve ser uma prática filantrópica, mais um gesto religioso. Dizimar deve brotar de um coração misericordioso que quer levar um pouco de consolo ao que está passando necessidade, participar da manutenção da sua paróquia...

Como cristãos devemos acrescentar que nossas oferendas devem levar a nossa manifestação de gratidão pelo Sacrifício de Cristo, dom de Deus para a humanidade (Jo 3,16), ao mesmo tempo deve nos mostrar como pessoas que assimilamos os valores do Reino.

O dízimo aponta em seu propósito para quatro elementos, como se fossem os quatro pontos cardeais: Para Deus, para o próximo, para a criação e para nós mesmos.

Para DeusO dízimo nos leva a reconhecer seu soberano domínio e os benefícios que vêem de sua Mão. Deus é o proprietário do mundo e em particular daquilo que nos concedeu.

Para o próximo Move-nos à generosidade, à prática da caridade e, em muitos casos, a vivencia da justiça. Tem uma dimensão salvífica (Mt 25,31-46). É uma amostra de nossa generosidade que nos faz crescer por dentro, educa no amor e contribui para a verdadeira união entre os membros da comunidade.

Para a criação – Leva-nos a nós mostrar livres ante as coisas materiais, como tenentes de Deus na criação. Não se trata de condenar os bens materiais, mas é um convite para que caminhemos sem apegos e sem cair na escravidão do materialismo.

Para nós mesmosMove-nos a perceber os valores transcendentes e nossas expectativas de salvação, nos permite ver o irmão necessitado. Permite que nos afastemos do pecado insaciável da ganância.

Os membros da Igreja Católica devem observar cinco preceitos chamados de Mandamentos da Igreja; estes se relacionam diretamente com o Primeiro Mandamento da Lei de Deus, pois do amor a Deus se derivam o culto que lhe corresponde, as obras piedosas e a doação para com sua Igreja. Os Mandamentos da Igreja Católica são:

 

1 Participar da Missa todos os domingos e dias de preceito.
2 Confessar uma vez ao ano, e em perigo de morte, e receber a Eucaristia.
3 Receber a Eucaristia pelo menos uma vez ao ano, especialmente na Páscoa da Ressurreição.
4 Jejuar e abster-se de comer carne quando manda a Santa Mãe Igreja.
5 Ajudar a Igreja em suas necessidades, cada um segundo a sua capacidade.

 

Para cumprir com o quinto Mandamento da Igreja, devemos dar o dízimo, que deve ser entregue a Deus como reconhecimento de seu domínio supremo (Levítico 27, 30-33). O dízimo se oferece a Deus, porém se transfere a seus ministros.

A oferenda do dízimo não pode ser substituída por nenhum outro donativo dada por qualquer outro conceit

Textos Bíblicos
Jo 3,16
16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Mt 25,31-46
31 Quando, pois vier o Filho do homem na sua glória, e todos os anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória;
32 e diante dele serão reunidas todas as nações; e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos;
33 e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos à esquerda.
34 Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
35 porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me acolhestes;
36 estava nu, e me vestistes; adoeci, e me visitastes; estava na prisão e fostes ver-me.
37 Então os justos lhe perguntarão: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
38 Quando te vimos forasteiro, e te acolhemos? ou nu, e te vestimos?
39 Quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos visitar-te?
40 E responder-lhes-á o Rei: Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes.
41 Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos;
42 porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
43 era forasteiro, e não me acolhestes; estava nu, e não me vestistes; enfermo, e na prisão, e não me visitastes.
44 Então também estes perguntarão: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou forasteiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?
45 Ao que lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixaste de fazer a um destes mais pequeninos, deixastes de o fazer a mim.
46 E irão eles para o castigo eterno, mas os justos para a vida eterna.

Levítico 27, 30-33
31 Se alguém quiser remir uma parte dos seus dízimos, acrescentar-lhe-á a quinta parte.
32 Quanto a todo dízimo do gado e do rebanho, de tudo o que passar debaixo da vara, esse dízimo será santo ao Senhor.
33 Não se examinará se é bom ou mau, nem se trocará; mas se, com efeito, se trocar, tanto um como o outro será santo; não serão remidos.

: