Últimas
VI Domingo da Páscoa - 'A'
A liturgia do VI Domingo da Páscoa convida-nos a descobrir a prese
Por que maio é o mês de Maria?
No mês de maio, milhões de pessoas participam de romarias e pereg
Homenagem à Fátima atrai centenas de fiéis em Santos
  Leia reportagem no jornal A Tribuna acessando aqui.
V Domingo da Páscoa -
A liturgia deste V Domingo da Páscoa convida-nos a refletir sobre
Quando é que os cristãos começaram a rezar a Ave-Maria?
Encontramos no Evangelho de Lucas os dois principais vers
Mais Lidas

Destaque

Próximos Eventos

Qui Mai 25 @ 3:00PM -
Terço da Misericórdia
Qui Mai 25 @ 8:00PM -
Grupo de Oração
Qui Jun 01 @ 3:00PM -
Terço da Misericórdia
Qui Jun 01 @ 8:00PM -
Grupo de Oração
Qui Jun 08 @ 3:00PM -
Terço da Misericórdia

Quando é que os cristãos começaram a rezar a Ave-Maria?

Encontramos no Evangelho de Lucas os dois principais versículos que compõem a oração da Ave-Maria. A primeira parte da oração vem da Anunciação, quando o anjo Gabriel saudou Maria dizendo: “Ave, cheia de graça, o Senhor é convosco!” (Lc 1,28). A parte seguinte vem da Visitação, quando Isabel cumprimentou Maria com as palavras “Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre!” (Lc 1,42).

A oração da Ave-Maria como fórmula devocional se consolidou entre os cristãos a partir do século XI. A Enciclopédia Católica explica:

“Há pouco ou nenhum vestígio da Ave-Maria como fórmula devocional antes de 1050. As evidências sugerem que ela se formou a partir de certos versículos e responsórios do Pequeno Ofício ou Cursus da Santíssima Virgem, usados na época entre as ordens monásticas. Dois manuscritos anglo-saxões preservados no Museu Britânico, um deles datado por volta de 1030, mostram que as palavras ‘Ave Maria‘ etc. e ‘benedicta tu in mulieribus et benedictus fructus ventris tui‘ se verificavam em quase todas as partes do Cursus, e, embora não haja certeza de que essas passagens estivessem anteriormente unidas para formar uma única oração, há evidências conclusivas de que isso aconteceu muito pouco tempo depois”.

No início, a oração era conhecida como “Saudação à Santíssima Virgem” e consistia somente nos dois versículos unidos. Não demorou muito, porém, para que se adicionasse a segunda metade da prece (“Santa Maria…”). Durante vários séculos, a oração terminou no “…bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Amém“, embora, às vezes, fossem incluídas diferentes petições logo em seguida.

A oração oficial da Ave-Maria foi finalizada após a publicação do Catecismo do Concílio de Trento, sendo incluída no Breviário Romano de 1568. O Catecismo de Trento ainda menciona a oração como a “Saudação do Anjo” ou “Saudação Angélica“:

A primeira parte da Saudação do Anjo. Quando dizemos em oração: ‘Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres’, rendemos a Deus o mais alto louvor e lhe damos profundas graças porque Ele acumulou na Santíssima Virgem todos os seus dons celestiais; e à própria Virgem, por esta sua singular felicidade, apresentamos nossos respeitosos e fervorosos parabéns.

A esta forma de ação de graças, a Igreja de Deus sabiamente acrescentou orações e uma invocação à Santíssima Mãe de Deus, a cujo patrocínio recorremos humilde e piedosamente a fim de que, por sua intercessão, ela possa conciliar a amizade de Deus com os miseráveis ​​pecadores que nós somos e nos obter as bênçãos de que precisamos nesta vida e na vida futura. Exilados filhos de Eva, que habitam este vale de lágrimas, não deveríamos rogar sinceramente à Mãe de misericórdia, advogada dos fiéis, que reze por nós? Não deveríamos implorar por sua ajuda e assistência?”.

Ave-Maria é hoje um pilar central da devoção católica. Ela expressa o nosso amor pela Virgem Maria usando palavras da Sagrada Escritura e pede a sua ajuda em nossas horas de necessidade.

Ave, Maria, cheia de graça,
o Senhor é convosco!
Bendita sois vós entre as mulheres
e Bendito é o Fruto do vosso ventre, Jesus!
Santa Maria, Mãe de Deus,
rogai por nós, pecadores,
agora e na hora de nossa morte.
Amém.


 

: