Últimas
As atitudes fundamentais do Advento
Atitude de espera O mundo precisa de Deus. A humanidade está
Orações para a Segunda Semana do Advento
Domingo - Algumas vezes, Senhor, eu considero minha vida como uma v
Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora
Na Solenidade da Imaculada Conceição somos convidados a equaciona
O Espírito Santo: nosso guia no Advento
Durante o Advento não podemos esquecer da presença do Espírito S
Mais Lidas

Destaque

Próximos Eventos

Sem eventos

O Espírito Santo: nosso guia no Advento

Durante o Advento não podemos esquecer da presença do Espírito Santo que primeiro atua profetizando a vinda do Messias, e depois, em Jesus Cristo. Isto é para nós uma especial indicação por parte de Deus Nosso Senhor de que as necessidades que o homem possui só podem ser levadas a cabo desde uma perspectiva: a do Espírito Santo. Porém, tão pouco podemos esquecer que isto unicamente é possível para a alma que se converte em dócil instrumento do Espírito Santo, porque é Ele que nos permite chegar com passo firme a todas e a cada uma das metas que Deus vai nos propondo ao longo da vida.
Não estamos sós, o Senhor não nos abandona. A presença de Jesus Cristo em nossas vidas não é uma companhia, é um guia, uma luz. E nunca devemos esquecer que está iluminação quem realiza é o Espírito Santo.
Na Encarnação é o Espírito Santo o que cobre com sua a sombra a Santíssima Virgem de forma que seja gerado o Filho de Deus. E também o Espírito Santo que, cada vez que queremos ter o Cristo em nossa alma, se faz presente para construir em nos a presença, a vida de Cristo. O Espírito Santo é o Santificador, é o que realiza na alma a função de dar vida no Senhor. É Ele quem nos aconselha, guia e ilumina, nos fortalece para que a mensagem que o Natal vem trazer às nossas almas possa ser cumprida.
Neste Advento, neste caminho até o Natal, se faz presente a presença plena de Cristo em nosso alma não está sendo guiados por uma estrela, estamos sendo guiados pelo Espírito de Deus Nosso Senhor. Isto tem que ser para nós uma grande certeza, tem que nos dar uma grande paz e uma grande serenidade. Porém, exige de nós um treinamento que consiste em aprender a escutar o que o Espírito Santo vai dizendo à nossa consciência, sujeitando nosso pensamento ao que Ele vai nós pedindo e sermos capazes de amar o modo concreto com o qual vai educando nosso coração.
Unicamente os humildes podem reconhecer a voz do Espírito Santo em seu interior, somente eles são capazes de deixar-se guiar por Ele. Se tivéssemos dentro de nos esta presença constante do Espírito Santo poderíamos participar da ação de graças que Jesus Cristo faz ao Pai: “Te dou graças Pai do Céu e da Terra, porque revelastes estas coisas, não aos sábios e entendidos, mais aos humildes”.
Quantas vezes nossa forma de ver as coisas e nossos pensamentos são os que governam nossa vida! Quantas vezes pretendemos entender todas as coisas segundo a nossa sabedoria, esquecendo que a sabedoria de Deus é a que tem que governar nossa vida!
Quando lemos as profecias de Isaías, onde aparece o lobo habitando com o cordeiro, a pantera com o cabrito, o novilho e o leão pastando juntos, poderia se perguntar: Tudo isso existe? É um sonho ou é uma realidade? O que o profeta está dizendo é que mesmo que possa parecer impossível ao homem, que na lógica humana jamais poderia ocorrer, o Espírito Santo pode realizar.
Neste Advento, devemos aprender a romper as lógicas humanas, desfazer nossas prisões, nossas formas de ver muitas situações, de vermos, até mesmo, a nós mesmos. Deixemos de lado tantas e tantas coisas que classificam nossa existência de uma maneira determinada e que, em definitivo, nos levam para longe de Deus. Devemos permitir que o Espírito Santo fale em nossa vida, nos guie e inspire. Não é tão difícil, é questão de aprender e escutar, de não fazer ruído em nossa alma, de nos colocar na frente de Deus e não ouvir outra coisa, mais somente Ele, para que nada interrompa esta comunicação de amor entre Deus e cada um de nós.
Nosso coração deve estar disposto a escutar Deus, para que neste tempo do Advento, no qual a felicidade maior acontece para o homem, que é o encontro com o Senhor, não passe como as folhas do calendário, mas que seja um tempo que permaneça no coração. Com uma grande abertura interior, devemos permitir ao Espírito Santo que fale, para assim poder remover tudo aquilo que nos impede ter paz na alma, junto ao Cristo em Belém.
Isaías o profeta nos fala: "Aquele dia, a raiz de Jessé se levantará como bandeira dos povos, a buscaram todas as nações”.
Há em minha alma avidez de Deus?
Há em meu coração sede deste Cristo que é a raiz de Jessé?
Há em meu interior o anseio de encontrar-me com Jesus?

Se não há, devemos permitir que o Espírito Santo mude nosso coração até que Ele o encha. Devemos pedir que neste tempo do Advento, Ele vá transformando nossa existência de tal modo que nunca nos sintamos sós, para que se possa cumprir em nós a profecia de que somos felizes porque temos a presença de Cristo em nossa vida, e temos sua influencia em nossa sociedade.

 

: