Últimas
As atitudes fundamentais do Advento
Atitude de espera O mundo precisa de Deus. A humanidade está
Orações para a Segunda Semana do Advento
Domingo - Algumas vezes, Senhor, eu considero minha vida como uma v
Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora
Na Solenidade da Imaculada Conceição somos convidados a equaciona
O Espírito Santo: nosso guia no Advento
Durante o Advento não podemos esquecer da presença do Espírito S
Mais Lidas

Destaque

Próximos Eventos

Sem eventos

XXXIII Domingo do Tempo Comum (Ano C)

A liturgia do XXXIII Domingo do Tempo Comum reflete sobre o sentido da história da salvação e nos diz que a meta final para onde Deus nos conduz é o novo céu e a nova terra da felicidade plena, da vida definitiva. Este quadro (que deve ser o horizonte que os nossos olhos contemplam em cada dia da nossa caminhada neste mundo) faz nascer em nós a esperança; e da esperança brota a coragem para enfrentar a adversidade e para lutar pelo advento do Reino.

Na primeira leitura, um “MENSAGEIRO DE DEUS” anuncia a uma comunidade desanimada, céptica e apática que Jahwéh não abandonou o seu Povo. O Deus libertador vai intervir no mundo, vai derrotar o que oprime e rouba a vida e vai fazer com que nasça esse “sol da justiça” que traz a salvação.

O Evangelho oferece-nos uma reflexão sobre o percurso que a Igreja é chamada a percorrer, até à segunda vinda de Jesus. A missão dos discípulos em caminhada na história é comprometer-se na transformação do mundo, de forma a que a velha realidade desapareça e nasça o Reino. Esse “CAMINHO” será percorrido no meio de dificuldades e perseguições; mas os discípulos terão sempre a ajuda e a força de Deus.

A segunda leitura reforça a idéia de que, enquanto esperamos a vida definitiva, não temos o direito de nos instalarmos na preguiça e no comodismo, alheando-nos das grandes questões do mundo e evitando dar o nosso contributo na construção do Reino.


 


Primeira Leitura
Salmo Responsorial
Segunda Leitura
Evangelho
Comentário
Referencias


Primeira Leitura
NASCERÁ PARA VÓS O SOL DA JUSTIÇA.
Leitura da Profecia de Malaquias (3,19-20a)


19Eis que virá o dia, abrasador como fornalha,
em que todos os soberbos e ímpios serão como palha;
e esse dia vindouro haverá de queimá-los,
diz o Senhor dos exércitos,
tal que não lhes deixará raiz nem ramo.
20aPara vós, que temeis o meu nome,
nascerá o sol da justiça,
trazendo salvação em suas asas.
Palavra do Senhor.


Referencias para reflexão da primeira leitura


01 - Muitas vezes temos a sensação de que o nosso mundo caminha para o abismo e que nada o pode deter. Olhamos para o mapa dos conflitos bélicos e vemos pintados de sangue o presente e o futuro de tantos povos; olhamos para a natureza e a vemos devorados pelos interesses das multinacionais da indústria; olhamos para as pessoas e as vemos fechadas no seu cantinho, desinteressadas das grandes questões, sem grandes idéias que possam mudar este quadro... A questão é: a esperança ainda faz sentido? Este mundo tem saída? Um profeta anônimo de há 2450 anos dá voz à esperança e garante-nos: DEUS NÃO NOS ABANDONOU; ELE VAI INTERVIR – ELE ESTÁ SEMPRE A INTERVIR – NO MUNDO…

02 - É preciso ter consciência de que a intervenção libertadora de Deus não deve ser projetada apenas para o “último dia” do mundo… Ela acontece a cada instante; e nós devemos estar numa espera vigilante e ativa, a fim de sabermos reconhecer e acolher de braços abertos a intervenção salvadora e libertadora de Deus na nossa história e na nossa vida.

03 - Muitas vezes esta profecia e outras semelhantes são usadas para incutir medo: “está chegando o fim do mundo e quem, até lá, não ganhar juízo, irá sofrer castigos pavorosos e ser atirado para o inferno”… Interpretar estes textos desta forma é distorcer gravemente a Palavra de Deus: eles não pretendem amedrontar-nos, mas fortalecer a nossa esperança no Deus libertador e nos dar a coragem necessária para enfrentar os dramas da vida e da história.


Voltar


Salmo Responsorial
O SENHOR VIRÁ JULGAR A TERRA INTEIRA;
COM JUSTIÇA JULGARÁ.
Sl 97,5-6.7-8.9a.9bc (R. cf. 9)


5Cantai salmos ao Senhor ao som da harpa*
e da cítara suave!
6Aclamai, com os clarins e as trombetas,*
ao Senhor, o nosso Rei! 

O SENHOR VIRÁ JULGAR A TERRA INTEIRA;
COM JUSTIÇA JULGARÁ.

7Aplauda o mar com todo ser que nele vive,*
o mundo inteiro e toda gente!
8As montanhas e os rios batam palmas*
e exultem de alegria. 

O SENHOR VIRÁ JULGAR A TERRA INTEIRA;
COM JUSTIÇA JULGARÁ.

9aExultem na presença do Senhor, pois ele vem,*
vem julgar a terra inteira.
9bJulgará o universo com justiça*
9ce as nações com eqüidade.

O SENHOR VIRÁ JULGAR A TERRA INTEIRA;
COM JUSTIÇA JULGARÁ.


Voltar


Segunda Leitura
QUEM NÃO QUER TRABALHAR, TAMBÉM NÃO DEVE COMER.
Leitura da Carta de São Paulo aos Tessalonicenses (3,7-12)


Irmãos:
7Bem sabeis como deveis seguir o nosso exemplo,
pois não temos vivido entre vós na ociosidade.
8De ninguém recebemos de graça o pão que comemos.
Pelo contrário, trabalhamos com esforço e cansaço,
de dia e de noite,
para não sermos pesados a ninguém.
9Não que não tivéssemos o direito de fazê-lo, mas
queríamos apresentar-nos como exemplo a ser imitado.
10Com efeito, quando estávamos entre vós,
demos esta regra:
'Quem não quer trabalhar, também não deve comer'.
11Ora, ouvimos dizer que entre vós há alguns que vivem à
toa, muito ocupados em não fazer nada.
12Em nome do Senhor Jesus Cristo,
ordenamos e exortamos a estas pessoas que,
trabalhando, comam na tranqüilidade o seu próprio pão.
Palavra do Senhor.


Referencias para reflexão da segunda leitura


01 - Ao contrário do que dizem alguns “iluminados”, o cristianismo não fomenta a evasão deste mundo, nem pretende fazer alienados que vivam de olhos postos no céu e passem ao lado das lutas dos outros homens… Pelo contrário, o cristianismo vivido com verdade, seriedade e coerência, fortalece o empenho na construção de um mundo mais justo e mais fraterno, todos os dias, vinte e quatro horas por dia. O “REINO DE DEUS” é uma realidade que atingirá o ponto culminante na vida futura; mas começa a construir-se aqui e agora e exige o esforço e o empenho de todos. A minha atitude é a de quem se comprometeu com o “Reino” e procura construí-lo em cada instante da sua existência?

02 - Nas comunidades cristãs encontramos, com frequência, pessoas que falam muito e mandam muito, mas fazem muito pouco e, muitas vezes, ainda se aproveitam dos trabalhos dos outros para se enfeitar de louros… Também encontramos aqueles que são apenas “consumidores passivos” daquilo que a comunidade constrói, mas não se esforçam minimamente por colaborar. Qual é a minha atitude em face disto? Dou o meu contributo na construção da comunidade? Ponho a render os meus dons?

03 - A Palavra interpela também as comunidades religiosas… A vida religiosa pode ser apenas uma vida cômoda para pessoas que gostam de viver sem ambições… É preciso cuidado para não nos tornarmos parasitas da sociedade (e, muitas vezes, de pessoas que vivem muito pior do que nós e que ainda partilham conosco o pouco que têm): a nossa missão é tornarmo-nos “SINAIS” que anunciam o mundo novo e trabalhar para que esse mundo novo seja uma realidade.


Voltar


Evangelho
É PERMANECENDO FIRMES QUE IREIS GANHAR A VIDA!
Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas (21,5-19)


Naquele tempo:
5Algumas pessoas comentavam a respeito do Templo
que era enfeitado com belas pedras
e com ofertas votivas.
Jesus disse:
6'Vós admirais estas coisas?
Dias virão em que não ficará pedra sobre pedra.
Tudo será destruído.'
7Mas eles perguntaram:
'Mestre, quando acontecerá isto? E qual vai ser o sinal
de que estas coisas estão para acontecer?
8Jesus respondeu: 'Cuidado para não serdes enganados,
porque muitos virão em meu nome, dizendo:
'Sou eu!' e ainda: 'O tempo está próximo.'
Não sigais essa gente!
9Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções,
não fiqueis apavorados.
É preciso que estas coisas aconteçam primeiro,
mas não será logo o fim.'
10E Jesus continuou:
'Um povo se levantará contra outro povo,
um país atacará outro país.
11Haverá grandes terremotos,
fomes e pestes em muitos lugares;
acontecerão coisas pavorosas
e grandes sinais serão vistos no céu.
12Antes, porém, que estas coisas aconteçam,
sereis presos e perseguidos;
sereis entregues às sinagogas e postos na prisão;
sereis levados diante de reis e governadores
por causa do meu nome.
13Esta será a ocasião em que testemunhareis a vossa fé.
14Fazei o firme propósito
de não planejar com antecedência a própria defesa;
15porque eu vos darei palavras tão acertadas,
que nenhum dos inimigos vos poderá resistir ou rebater.
16Sereis entregues até mesmo pelos próprios pais,
irmãos, parentes e amigos.
E eles matarão alguns de vós.
17Todos vos odiarão por causa do meu nome.
18Mas vós não perdereis
um só fio de cabelo da vossa cabeça.
19É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!
Palavra da Salvação.


Referencias para reflexão do Evangelho


01 - O que parece, aqui, fundamental, não é o discurso sobre o “fim do mundo”, mas sim o discurso sobre o percurso que devemos percorrer, até chegarmos à plenitude da história humana… Trata-se de uma caminhada que não nos leva ao aniquilamento, à destruição absoluta, ao fracasso total, mas à vida nova, à vida plena; por isso, deve ser uma caminhada que devemos percorrer de cabeça levantada, cheios de alegria e de esperança.

02 - É, sem dúvida, uma caminhada contaminada de dificuldades, de lutas, onde o bem e o mal se confrontarão sem cessar; mas é um percurso onde o mundo novo irá surgindo – embora com avanços e recuos – e onde a semente do “REINO” irá germinando. Aos crentes pede-se que reconheçam os “sinais” do “Reino”, que se alegrem porque o “Reino” está presente e que se esforcem por tornar possível essa nova realidade. A nossa vida não pode ser um ficar de braços cruzados olhando para o céu, mas um compromisso sério e empenhado, de forma a que floresça o mundo novo da justiça, do amor e da paz. Quais são os sinais de esperança que eu contemplo e que me fazem acreditar na chegada iminente do “Reino”? O que posso fazer, no dia a dia, para apressar a chegada do “Reino”? Nessa caminhada, os crentes sabem que não estão sós, mas que Deus vai com eles… É essa presença constante e amorosa que lhes permitirá enfrentar as forças da morte; é essa força de Deus que permitirá aos discípulos de Jesus vencer o desânimo, a adversidade, o medo.

03 - Alguns sinais de desagregação do mundo velho, que todos os dias contemplamos, não devem assustar-nos: eles são, apenas, sinais de que estamos nascendo para algo novo e melhor. Perder certas referências pode nos assustar e desarrumar os nossos esquemas e certezas; mas todos sabem que é impossível construir algo melhor, sem a destruição do que é velho e caduco.


Voltar


Comentário
APROXIMA-SE O FINAL?


Os meios de comunicação atuais nos oferecem imagens de todo mundo em tempo real, isto é, ao vivo. Em um mesmo noticiário de televisão podemos ver as imagens de enormes inundações na China, os incêndios em alguma região de nosso país e os confrontos brutais dos manifestantes com a polícia em algum local do Mundo, passando pela maré negra em algumas praias, a última crise entre israelenses e palestinos, a marginalização a que estão submetidas as mulheres ou a fome quase crônica e terrível em algum local da África. E muitas outras notícias que enchem a tela de nosso televisor de más notícias, de desastres naturais e humanos que não sabemos bem como vamos ser capazes de enfrentar. APROXIMA-SE O FINAL? Será capaz nosso mundo de aguentar a investida da contaminação que nós mesmos provocamos? Será capaz nossa sociedade humana de ser mais justa e de promover os direitos de todos os homens e mulheres sem exceção?

Temos de reconhecer que às vezes ficamos na dúvida. Temos a sensação de que o fim está perto e ficamos com medo. A final todas essas coisas acontecem a outros, passam em outros locais. Nós temos nosso pequeno recanto de paz. E nos dá medo perdê-lo. Sentimos que todas essas coisas ameaçam nossa tranquilidade.

Chega Jesus e no diz que não nos preocupemos, tranquilidade. Diz Jesus que certamente vão acontecer muitas coisas, e coisas más: guerras, insurgências, terremotos, fomes e pragas. Inclusive sinais extraordinários no céu. Com tudo isso, devemos seguir tranquilos. Porque há mais: os crentes serão entregues à autoridade. Seremos tratados como criminosos. Porém, tudo isso não será mais que uma oportunidade para dar testemunho de nossa fé. MAS VÓS NÃO PERDEREIS UM SÓ FIO DE CABELO DA VOSSA CABEÇA.

Por tanto, a mensagem de hoje é clara: TRANQUILIDADE E CONFIANÇA. Como nos diz são Paulo na segunda leitura: é tempo para trabalhar com normalidade, para viver uma vida decente atendendo a nossos próprios assuntos e sem nos inquietar nem a nós mesmos nem aos demais. É tempo de dar depoimento de nossa fé cristã, uma fé que sabe construir a comunidade, a família de todos os filhos de Deus no meio de todas essas coisas que passam em nosso mundo. Não devemos ficar nervosos pensando no que vai acontecer no futuro e esquecer de viver o presente, nosso presente, dia-a-dia, minuto a minuto, como cristão.

O que você pensa quando assistes o noticiário da televisão e ouve todas as más notícias? Como você testemunha sua fé aqui e agora? Você comunica serenidade, paz e fé àqueles que vivem com você? O que você faz para ajudar a edificar o Reino, a família de Deus com aqueles que estão ao seu redor?


Voltar


FONTES DE REFERÊNCIA


Fernando Torres - Missionários Claretianos (Ciudad Redonda)
Liturgia Diária – CNBB
Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos)

 

: