Últimas
Orações para a Segunda Semana do Advento
Domingo - Algumas vezes, Senhor, eu considero minha vida como uma v
II Domingo do Advento (Ano C)
Podemos situar o tema do II domingo do Advento à volta da missão
08 de dezembro - Imaculada Conceição
O dogma da Imaculada Conceição, proclamado a 8.12.1854 por Pio
Mais Lidas

Destaque

Próximos Eventos

Qua Dez 12 @ 8:00PM -
Terço dos Homens
Qui Dez 13 @ 3:00PM -
Terço da Misericórdia
Qui Dez 13 @ 8:00PM -
Grupo de Oração
Qui Dez 20 @ 3:00PM -
Terço da Misericórdia
Qui Dez 20 @ 8:00PM -
Grupo de Oração

Orações para a Segunda Semana do Advento

Domingo - Algumas vezes, Senhor, eu considero minha vida como uma velha cidade entrincheirada. 


Descubro, ao inspecioná-la, a infinidade de brechas e falhas. De onde recolho o água que bebo, que não mata minha sede? Qual é minha comida, se sigo com fome todos os dias? Às vezes, quando me vejo assim, penso que tenho mais motivos para chorar do que para rir. Nessas condições, será possível alguma festa?

Pergunto-me onde está a chave que me abra e da acesso ao verdadeiro sentido da existência. Não há outra chave senão a Tua Palavra, Senhor. Tua Palavra, que deixa aberta a porta que ninguém poderá fechar: “Este é meu Filho, o amado; escutai-o”. Ah, se entre todos preparássemos um caminho para essa Palavra, e aplainássemos os obstáculos, para que chegasse a nós e a acolhêssemos. Que abramos as portas para que esta Palavra chegue aos seus: nós. Que a acolhamos, e que em nós a Palavra ponha sua morada e fique para sempre em nossa casa.

“É hora de acordar do sonho, porque agora nossa salvação está mais perto do que quando começamos a crer. A noite está avançada, o dia joga-se em cima: deixemos as atividades das trevas e providenciemos as armas da luz” (São Paulo). Concede-nos, Senhor, que esperemos com alegria Tua chegada. Quanto há ainda que deter e quanta compaixão que experimentar, para saber que Tu já chegaste, que te puseste de avental, para começar a trabalhar em nossas feridas.


Segunda-feira - Cantar a ti, Senhor, te cantar um canto novo... ainda que pareça que tudo se ponha contra nós?  


Como se a terra, seus povos e famílias estivessem abaixo de uma maldição. Cantar a ti um canto novo? Acabou-se a confusão dos que se divertiam; o conteúdo do copo tem sabor amargo aos que o bebem. Estão fechadas as portas das casas; olha-se desde dentro com temor. Quanta dor! Não existe a alegria em nossa convivência. Soa ainda o ruído do último atentado ou da fome que nunca é saciada em continentes inteiros de pobreza. Como é possível cantar assim ao Senhor um canto novo?

Mas virá o Messias, Cristo meu. E quando chegar mostrara os caminhos de Deus, e nos ensinara a percorrê-los. A morte que nos ameaçava, será expulsa e será vencida. Será possível o canto; possíveis também o abraço, a caricia, o perdão...

Dá-nos, Pai Deus, essa Palavra tua, a única que tens. Fale-nos por médio de teu Filho Jesus tudo o que tenhas que nos comunicar e nos dizer. Que ponhamos os olhos somente nele; que encontremos Nele ainda mais do que pedimos. Que tua lei e tua vida sejam luzes para nossos olhos. Que a família humana, livre do medo e da morte, te cante cheia de alegria o canto novo da fraternidade conseguida, do amor e da paz realizados. Vem Senhor Jesus, e não tardes. Rompe o jugo do cativeiro; transforma nossa condição humilde com essa força que possuis para submeter tudo. Faz que tua justiça a reconheça e a aceite o mundo inteiro. Que tua glória habite em nossa terra: um ser humano (homem/mulher) por fim dignificado, tendo para ele vida e dignidade asseguradas...


Terça-feira - Senhor, tu és meu Deus.  


Tu és refúgio na ternura que recebemos ou que nós a outros presenteamos. És sombra refrescante para todos os que, na hora do maior calor, ainda seguem caminhando. Fortificação do pobre em sua desgraça, Tu; fortaleza de desvalidos na angústia que padecem.

Meu Deus és tu; te darei graças e cantarei com alegria. Estendeste tua mão quando, agoniado, me afogava em meu próprio desconcerto, tão grande como o mar. Ajuda-me a compreender o sentido dessas provas, para que possa levar a cabo a obra que tu me confiaste. Acende, Pai bom, nossos corações nesse mesmo amor que te devora.  Que para valer, de verdade, desejemos Tua vinda. Que entre nós saibamos nos acolher mutuamente, berço essencial e necessário para que nasças. Faz que a frieza no amor em nós jamais seja possível, nem possa silenciar ou matar essa vida nossa que te espera e que tanto, te está precisando...

Vem Senhor Jesus! Sabes que às vezes chego a casa como ovelha perdida, desorientada, terrivelmente triste. Chego cansado, ferido, doente... Ainda que seja verdade também que os carinhos dos que ainda me esperam e recebem no lar, me devolvem saúde, alegria, esperança e tantas coisas. Volto a sorrir e a agradecer, com eles, a felicidade de estar vivo. E como eles (esposa ou esposo, filhos e amigos...), como eles Tu também vês minhas feridas, curas minha doença, me acalmas, pões paz em meu interior, me dás de beber tua vida. Claro que sim, desejaria encontrar sempre teu rosto a cada vez que chegue a casa. Com tua presença e com a força de teu amor, acende e queima este coração meu tantas vezes indiferente a tua chegada. Derrama o orvalho de tua presença no abandono de minha vida, e faz que nasça outra vez como é devido.


Quarta-feira - Se esperamos com alegria o nascimento de Jesus, é porque achamos que ele destruirá e acabará com essa morte que nos rodada 


Ele enxugará as lágrimas de todos os rostos; afastará a injuria e a humilhação de todos os povos. Quando isso suceder, diremos agradecidos: Aqui está nosso Deus, de quem esperávamos que nos salvasse. E não foi nem sonho nem mentira; tal como nos prometeu sucedeu: hoje celebramos e nos alegramos com sua salvação. Sentimos que a mão do Senhor posou sobre nós e nos inundou com sua paz.

Confiamos sempre em ti, Senhor; és a Rocha em que nossa vida se sustenta. Em ti humildes e pobres encontram respiro e acolhida. Afogas, destróis, trituras nossas culpas. Visita-nos sempre intensamente, Senhor. Presenteia-nos com tua compaixão. Abre-nos à Luz e envolve-nos nela. Não permitas que desanimemos com nossas debilidades. E que saibamos agradecer o que fazes por nós. Cuida com mimo extraordinário e grande ternura nossa vida, e põe em nossas mãos as obras que devamos realizar para te alcançar. Quando chegar a noite, quero que venhas iluminar, Senhor, o que escondem estes nevoeiros e assim fiquem ao descoberto os desígnios da cada coração. Deixo minha porta aberta; se queres, entra já e descansa. Renova-me, capacita-me para que possa te ver, te receber, te amar e te seguir.


Quinta-feira - De aurora se fala, de novo amanhecer. Porque nasces, e é possível.  


Quanta coisa significa Teu nascer! Tu, que aplainas nosso caminho; e teus julgamentos, que são luz da terra. Aprendem justiças quantos te procuraram e a teu lado no portal se protegem. Antes, nos dominaram os senhores diferentes a ti, e nos decepcionaram; agora, só a ti reconhecemos como Deus, e te invocamos.

Que trabalhemos para trazer salvação a nosso povo. Que o temor ao fracasso nunca nos arruíne nem paralise nosso esforço. Hóspede bondoso, Senhor de toda ternura, que ao sentir como nos acompanhas se alegre nosso coração. Resgata-nos de nossas próprias loucuras. Consola-nos quando já não possamos mais.

Revela-nos teus segredos, Senhor. Atraia-nos docemente para ti, convida-nos. Porém quero me colocar primeiro em paz comigo mesmo, para poder apaziguar depois aos demais quando me pedires. Faz-me pacífico, nunca interessado em impor o que penso e o que creio aos demais. Quando me altero, não descanso e desconfio de todos. Atormento-me com suspeitas sempre infundadas. Ensina-me Senhor, a defender e a desculpar meus irmãos. Devo respeitar o direito que eles têm e nunca suspeitar de ninguém. Ajuda-me a tratá-los com piedade e misericórdia, mão com a que Tu a todos acaricias. Assim estarei tranqüilo, amando e acolhendo os cheguem...


Sexta-feira - Dizei aos covardes: sedes fortes. 


Olhai, vem Senhor, nosso Deus, o que liberta, cura, instrui, ilumina. Aquele a quem Maria soube aceitar dizendo “sim”, apesar de que apenas compreendia o que nesse instante o anjo lhe dizia: que o Senhor estava com ela; que daria a luz ao Salvador.... Que descubramos como ela, o caminho que nos conduz a ti, Deus bendito: caminho de obediência, de fé, de confiança.

Concede-nos mansidão e ternura para acolher e presentear os que se encontrem conosco durante este dia longo que é a vida. Que não permitamos que se marche com as mãos vazias os que confiaram em nossa ajuda. Vem conosco criar a nova terra que almejamos, na qual habitem a justiça e a paz sem demagogia. Que nos apoiemos sinceramente em Ti, Senhor, em tudo quanto façamos ou empreendamos. Mostra-nos sempre o caminho para ir a Ti, Pai nosso, e que o percorramos com energia e alegria.

Que possamos receber o Reino que já se aproxima. Destrói, Senhor, os muros do ódio que dividem às nações. Aplaina os caminhos da concórdia entre os povos. Olha-nos com amor, Senhor e Deus nosso. Somos obra de Tuas mãos: nunca nos desprezes nunca nos esqueças. Pela vinda de Cristo, teu Filho, nos limpe das impressões escuras que aquela antiga vida nossa produziu. Transforma-nos em novas criaturas, como se nascêssemos ao mesmo tempo e do mesmo modo que o Menino de Belém.

Deus em quem vivemos, nos move e em quem existimos, diga-nos uma vez mais que somos filhos teus; sussurra em nosso coração para que ele se vá acostumando. Tu que não estás longe de nós, te mostra em seguida e nos dá segurança em tudo quanto façamos para te encontrar.


Sábado - Como sonha o faminto que come, e desperta com o estômago vazio; como sonha o sedento que bebe, e desperta com a garganta muito seca...  


Assim sucede a minha vida quando te recuso Senhor, e te troco por caminhos que convertem minha vida num engano, correndo depois de fantasmas que me deixam jogado no caminho: prazer, poder, dinheiro...

Hoje não me ocorre senão advertir que há ingênuos que invejam quem planeja o crime. E dizer que se fala falsamente de ti, Deus meu, quando quem o faz não assiste ao faminto ou da água ao sedento. Muitos vivem de suas más artes, prejudicam aos pobres com mentiras e os tem privado de seus direitos... Senhor livra esses inocentes das mãos dessa gente que os odeia. Se possível dobra a arrogância humana e limpa a humanidade. Converte nossas invejas em amor e nossas fomes de vingança em desejos de perdão. Faz-nos dignos de Teus dons, e que nossa vida proclame sempre teu Evangelho.

Traz-nos paz sem limites, Senhor. A obra da justiça será essa paz, e a prática do direito proporcionará tranqüilidade aos povos da terra, alguns tão cruelmente esmagados. Concede-nos habitar em moradas tranqüilas, em casas sossegadas. Esperamos em Ti: seja nosso braço pela manhã e nossa salvação no perigo. Que não trema nosso coração nem se acovarde. Guarda-nos com carinho, que não há outro Deus fora de ti. E que saibas que sabemos que ninguém, nem nada poderá nos oferecer o que nos ofereces Tu, nem nos fazer felizes como Tu o fazes.


 

: